terça-feira, 23 de setembro de 2008

Rio, quinze graus?!

Faço aqui um apelo: se alguém conhecer o telefone daquela garota carioca, suingue sangue bom que atende pelo nome de Fernanda Abreu, por favor, me passe. Quero ligar e deixar uns recados mal-criados na secretária eletrônica! Não é ela quem canta aquela coisa de Rio, quarenta graus? De qual Rio ela estava falando? Rio de Janeiro? Mentira!!!

Vocês devem ter notado que esse blog ficou meio abandonado semana passada. O que aconteceu é que eu fui ao Rio de Janeiro por conta de compromissos profissionais. Cheia de diminutivos na cabeça, com essa musiquinha nos ouvidos, coloquei só regatinhas e camisetinhas na minha mala. Por via das dúvidas, levei uma jaquetinha. Pois foi essa jaquetinha que me impediu de congelar naquela cidade! Exatamente: passei quatro dias na cidade maravilhosa, morrendo de frio!

No dia em que cheguei, chuva. E frio! Pra ninguém dizer que estou mentindo, aí vai uma foto de um termômetro de rua:


QUINZE GRAUS!

Na verdade, acho que a culpa nem é da Fernanda Abreu. É bastante possível que chegue a fazer quarenta graus por lá. O negócio é essa questãozinha particular entre nós. Quem? São Pedro e esta que vos escreve. Pretensão da minha parte, talvez. Mas que tem alguém na galera do Altíssimo de marcação cerrada com a minha pessoa, isso tem!

Tudo bem, tudo bem! Já sei quem é o mais forte, quem manda no tempo, já aprendi, já aprendi! Será que dá pra mandar um solzinho logo de cara na próxima vez que eu for pra um lugar qualquer? Pensando bem, caso essa coisa de chuva na minha vida continue, posso até oferecer meus serviços de nuvem negra para os lugares que estiverem vivendo períodos de seca, não é? Em vez de me leva que eu vou, sonho meu, atrás da verde e rosa só não vai quem já morreu, chegarei cantando me leva que eu vou, toró meu, atrás da Juliana veio a nuvem que choveu.

A verdade é que São Pedro é um brincalhão. Faz chover nos lugares para os quais vou, mas depois dá uma risadinha, acaba se comovendo com meus apelos e manda sol. Dessa vez, foram dois dias nublados e dois com sol. Mas frios! Ouvi dizer que foram os dias mais frios do Rio nos últimos tempos. Ninguém merece!

Aproveitei a generosa hospitalidade de minha amiga Sheyla e, entre uma obrigação de trabalho e outra, fui conhecer um pouco dessa cidade improvável, cuja única palavra que pode ser usada como resumo é contraste. O velho e o novo. O pobre e o rico. O belo e o feio. A harmonia e a dissonância. A classe e a absoluta falta dela. Está tudo lá, lado a lado. É impressionante.

Não cheguei a me transformar numa muchacha de Copacabana, como cantou Chico Buarque, mas molhei meus pezinhos nas águas (geladas, diga-se de passagem) da princesinha do mar. Nem de longe passei perto de ser confundida com alguma garota de Ipanema porque meu corpo não tem nada de dourado (com toda essa chuva, como poderia?) e meu balançado... Bem, tem muita coisa que balança por aqui, mas duvido que daria qualquer poema. Também não tinha violão, por isso nem procurei qualquer cantinho, mas imaginei mil canções pra fazer feliz. Claro que fui ao Cristo Redentor, braços abertos sobre a Guanabara e, lá do alto, derramei meus olhos por aquelas paisagens todas. Vi o Rio de sol, de céu, de mar. Dá pra entender perfeitamente porque D. João VI relutou tanto em ir embora do Brasil.



Mesmo com chuva e frio, mesmo com as desconcertantes favelas encarapitadas nos morros, mesmo com o contraste brutal que escancara a diferença absurda entre pobres e ricos, realmente, não há como negar as canções, o Rio de Janeiro continua lindo!

14 comentários:

  1. Ju, querida!
    Pra que sol?? Você ilumina onde passa, meu amor!!

    Sabia de uma curiosidade?? Me casei lá, no início desse ano! Com muito sol e calor, e banho de lágrimas!!!

    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  2. Lili, obrigada!!!

    Nossa! Casamento no rio e com sol e calor? Que bênção!
    Vou tentar acompanhar os últimos dias da viagem de vcs agora...

    O tempo, o tempo... ah esse vilão!

    ResponderExcluir
  3. Putz... já arranjei outra sim! Eu, hein, adivinhou, parece coisa de bruxa, isso...
    Da próxima vez você não fala qual a intenção da viagem. Acho que S.Pedro detona o clima se vc disser que vai ao Rio para cumprir compromissos profissionais. Diga sempre que vai pra curtir, surfar, saltar de asa delta... Aí dá tudo certo!
    Ju, obrigada pelas sempre bem vindas visitinhas!

    ResponderExcluir
  4. Ju,
    Estive no RJ no ano passado e adivinhe? Chuva e frio também! Mas mesmo o dia mais feio no RJ é ainda infinitamente mais bonito que o mais lindo em qualquer outro lugar. Sou fã enlouquecida do RJ. Quando eu crescer vou morar lá, sabia?

    ResponderExcluir
  5. Preconceito de paulista. Soh consigo pensar que eh uma cidade que precisa do exercito para ter eleicoes. Sinto muito ,pra mim o Rio eh uma tristeza. Ainda se acham capital e nao percebem que a coisa estah desandada. Curitiba sem comparacao. 10 vezes melhor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju...tudo bem sou um espectador do seu blog...hoje resolvi comentar...e lhe mostrar o meu...http://vodkaepoucogelo.blogspot.com/

    se der de uma lida e me mande oq achou , valeuw brigado...

    ResponderExcluir
  7. Domingo, chuvinha fina...escuto Caetano cantando ...Tom....Quem no coração, abrigou a tristeza de ver....O Rio com chuva!!!
    Poxa amiga, já disse para São Pedro:Na próxima visita de Ju, QUERO SOL!!!
    Fiquei te devendo...Mas bobinha é para você voltar...Não tinhas notado?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Carol!
    Vai ser ótimo se vc morar lá! Mais uma casa pra eu visitar :-D
    Adorei aquela cidade, apesar da chuva...

    ResponderExcluir
  9. Denise
    Deve ser preconceito de paulista mesmo... Ou dor de cotovelo :-)

    Tudo bem, no Rio não tem o Masp, nem a 25 de março, a Paulista... São Paulo tb tem seu charme, claro!

    E Curitiba... é hors concours! :-D

    Na dúvida, fico com as três! Coisa de libriana, claro!

    ResponderExcluir
  10. Rose,

    Infelizmente S. Pedro é muito mais esperto do que eu. Não tenho a menor chance! O jeito é eu esperar passar a chuva que chega junto comigo, mas fezlimente, nunca dura o tempo todo da viagem!

    ResponderExcluir
  11. Ah....
    Que inveja de você, vai passeia, pega chuva pega sol e ainda volta e engrena na escrevinhação encantando a gente.
    Bem, na nossa viagem amargamos um frio da Praga e foi adiante.
    Mas isso é papo para o tete a tete(escrito no bom português, desculpe lá a agreção ao maravilhoso idioma de origem).
    Beijo
    Marie

    ResponderExcluir
  12. Sheyla!
    pode me aguardar que eu volto mesmo! :-)

    ResponderExcluir
  13. Marie,
    Eu vou querer saber tuuuuuuudo dessa viagem! Tomara que dê certo na quinta!

    ResponderExcluir
  14. Marie,
    Eu vou querer saber tuuuuuuudo dessa viagem! Tomara que dê certo na quinta!

    ResponderExcluir

Gosto de saber o que você pensa!