segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Foi ontem, mas tudo bem...

Ontem este blog completou um aninho de vida... Não sou de ficar me ligando a datas, como já tive a oportunidade de dizer, mas queria fazer uns agradecimentos especiais, ainda que com um dia de atraso. Como boa libriana que sou, vou listar agradecidos em ordem alfabética. Justa e imparcial! Com isso quero dizer que nenhum dos que aqui será citado é mais ou menos importante. Só teve a sorte ou o azar de ter a inicial no começo ou no fim do alfabeto.

Começo, então, por agradecer aos meus filhos, Ana Luíza e Felipe. Eles não lêem esse blog, nem imaginam que ele existe, nunca leram meus textos. Mas cada tempo que dedico a alguma coisa, é tempo tirado deles. Como me dedico a várias coisas, são vários também os tempos que surrupio dos dois o que, obviamente, me enche de culpa. Quando me ausento por conta de trabalho, tudo bem, aplaco um pouco minhas crises de consciência. Mas escrever por aqui é ato de puro prazer, então, lá vêm as chibatadas morais que me aplico todos os dias. Agradeço, portanto, à compreensão dos dois, ao fato de eles continuarem a gostar de mim, apesar das minhas ausências que nos últimos meses chegaram a níveis insuportáveis.

Aos meus bleitores, ou seja, todas essas pessoas conhecidas e anônimas que passam por aqui uma vez, algumas vezes ou muitas vezes. Aos que deixam comentários sempre, aos que comentam apenas uma vez, aos que me mandam mensagens, aos que me escrevem no Orkut, aos que falam pessoalmente comigo e aos que não dizem nada, apenas chegam de mansinho e aceitam conhecer um pouco de mim. Desde abril tenho um contador de acessos que me mostra uma série de coisas interessantes. Entre elas, a média de acessos diários. Comecei com 11 acessos e hoje estou em 20. É um crescimento inesperado para mim e me anima a continuar. Tenho bleitores internacionais, vejam só! Alemanha, Austrália, Suíça, França (sei quem são todos vocês!)... E todos os meus bleitores brasileiros, de norte a sul do país, alguns que me surpreendem imensamente quando descubro que me acompanham. Tudo isso me impressiona, de verdade!

Ao escritor, poeta, cronista, professor e ser humano singular Fabrício Carpinejar. Uma série de acasos fez com que nos encontrássemos pessoalmente por algumas horas em Curitiba em novembro do ano passado. O que conversamos naquele dia me encheu de coragem e, por causa daquela conversa, comecei este blog. Deu no que deu. Um aninho, com direito a textos publicados em livros e grandes planos para o futuro. Fabrício, acho que você nem imagina que teve participação tão grande nesse processo! Espero que um dia possa ter também participação nos lucros! :-)

À minha amiga Giuseppina Loffredo. Ela tem um blog também, mas prefere ficar incógnita. Há anos (em torno de cinco para ser um pouco menos inexata) me mandou um e-mail dizendo: Decidi contar a história da minha vida e quem vai escrever o livro é você! Ela não foi a primeira a mencionar que eu devia escrever, mas foi a mais insistente. É minha parceira nas artes dos retalhos e também na das letras. Mais do que isso, é parceira na vida, de uma forma que me desconcerta, às vezes.

Mariane Corbetta é outra amiga, também blogueira, também incógnita. Mas tinha de ser mencionada aqui. É minha comentadora mais assídua! Mas principalmente, veio dela o incentivo para participar da primeira seleção, que gerou minha primeira publicação, e tudo o mais que veio depois! Nossos caminhos, certamente, não se cruzaram por acaso, Marie. Embora a forma como tenhamos nos conhecido tenha sido exatamente assim: um gigantesco acaso!

Last but not least, em absoluto, a Vidal, meu marido, companheiro, parceiro, cúmplice. Presença constante e firme. Sinaliza sempre o norte, mesmo quando me perco e depois me acho, vagando em tantas direções. Atravessou esses anos comigo e esteve sempre ao meu lado, assim como eu estive ao lado dele. Não sei como nos classificar. Já fomos idênticos e também totalmente opostos. Daqui por diante, não imagino como seremos. O que sei é que hoje resta pouco da mulher com quem ele se casou há quase quinze anos e mesmo com toda a ebulição, transformação e estremecimento pelos quais passei, e continuo a passar, ele, ainda assim, quer estar ao meu lado. Sou uma mulher de sorte!

Que venha um novo ano. Que ele seja tão cheio de surpresas como foi este. Que eu continue a ter idéias, mas principalmente, que eu continue a encontrar tempo pra escrever por aqui. Isso economiza muito em terapia!

Vou assoprar velinhas, comer brigadeiros e recolher mais palavras soltas por aí!

9 comentários:

  1. Querida Ju,

    Como sempre, me fazes rir e chorar.
    Lindo teu post comemorativo.
    Me sinto imensamente orgulhosa de ser citada ao lado destas outras pessoas tão importantes.
    Juro que me emociona MUITO.
    Nosso encontro não foi por acaso, nada é, mas casualmente foi um lindo dia e próximo ao natal, um grande presente para mim também. Bem o sabes.
    Como diz Carpinejar, não importa se estaremos sempre juntas e próximas fisicamente, sei que estaremos sempre intensamente vivas e docemente importantes uma na vida da outra. Algumas coisas na vida, jamais se perde, apenas saem de vista, não do dentro.
    Adoro ler você, como texto, como pessoa como amiga.
    Enorme beijo.
    Este foi um lindo cartão de natal.
    Carinho imenso.
    Marie

    ResponderExcluir
  2. Ju, Parabéns!!! Adoro ler, reler e rir com você. Que venha mais um ano com muitas e muitas palavras soltas. Estarei esperando por elas e torcendo, rindo, chorando ou simplesmente lendo em paz esse pedacinho de sua alma, tão especial!
    Beijos, Dea

    ResponderExcluir
  3. Olá Juju, parabéns por mais esta etapa ganha!!!! Continue escrevendo sempre!!!! feliz natal e um lindo Ano Novo, super beijo para ti!!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado afinal sou uma bleitora sua mesmo que não entre todos os dias....srsrsr.....seu agradecimento ficou maravilhoso, aposto que todos que lerem se sentirão agradecidos afinal você se lembrou do quanto gostamos de vir aqui ler suas palavras, que nos fazem pensar e raciocinar, sorrir e sonhar....Parabéns pelo blog e afinal um ano é importante comemore e saiba que ano que vem estarei a te perseguir no blog novamente....rsrsrs....bjus Elis

    ResponderExcluir
  5. Uma alegria ser prendedor de tuas palavras, de tuas roupas, de tuas lembranças, de teus cílios. Te cuida, menina.
    beijos
    Fabro

    ResponderExcluir
  6. Hhahaha.
    Já está nos favoritos.
    Muito obrigado pelo comentário.

    Muitos beijos e muito sucesso!!!

    ResponderExcluir
  7. Como diz você em show da Madonna:
    Uuuuhhhh!!!! ou coisa que valha!Merci.

    ResponderExcluir
  8. Ainda bem que passados quinze anos pouco resta da mulher com quem o Vidal casou e com quem ele quer continuar casado apesar de tudo e acima de tudo.
    Como muitos frangos assados de aparência brilhante, apetitosa e crocante enquanto giram nas máquinas de assar, e ao prová-los percebemos o quanto são insossos e destemperados. Assim são as pessoas. Exuberantes, sedutoras cheias de superlativos quando estão na vitrine, do lado de fora das nossas vidas.
    Mas é na convivência do dia-a-dia que se percebe como é preciso ser alguém muito especial para agüentar nosso mau humor, TPM, cara amassada, hálito amanhecido.
    Palavras bonitas o vento leva, as atitudes permanecem.
    Você é sim, uma mulher de sorte, pois ao lado de uma grande mulher está sempre um grande homem.

    ResponderExcluir

Gosto de saber o que você pensa!